Experimente grátis
Entrar

Insights

« Voltar para a lista de insights

Descobrindo a aprendizagem baseada em problemas

A aprendizagem baseada em problemas é uma metodologia ativa que surgiu na década de 1960, que estimula a participação ativa do estudante em seu processo de ensino aprendizado formal ou informal. Vamos conhecer um pouco mais sobre ela, seus principais tópicos, etapas, benefícios e vantagens da aplicação desta metodologia.

O que é a aprendizagem baseada em problemas?

A aprendizagem baseada em problemas, também conhecida pela sigla em ABP, começou a ser desenvolvida em universidades do Canadá e Holanda no final da década de 60 e é uma proposta pedagógica baseada nos conceitos do psicólogo americano Jerome Seymour Bruner e do filósofo John Dewey.

De acordo com Jerome, a educação deveria colocar os estudantes em contato com problemas (esses do nosso dia a dia mesmo, instigando o uma visão maior da realidade), com objetivo de incentivar a discussão de temas em grupos e a busca por soluções. Essa proposta foi chamada de Aprendizagem pela Descoberta.

Por sua vez, Dewey defendia a ideia de que a educação deve ser baseada na reconstrução da experiência, observando a realidade para a produção do crescimento, motivação e aprendizagem.

Contudo, embora ambos tenham inspirado a Aprendizagem Baseada em Problemas, seu desenvolvimento se deu primeiro por uma experiência na Harvard Business School e depois foi disseminada para outras universidades.

Essa metodologia tem um impacto muito positivo na educação, afinal, os problemas aparecem de formas diferentes e nos mais variados lugares: tanto no âmbito social quanto na escola e, claro, no emprego. Os problemas fazem parte até mesmo da educação, como é observado nos exercícios de matemática e de várias outras disciplinas.

A aprendizagem baseada em problemas é, portanto, uma metodologia voltada para a aquisição do conhecimento por meio da resolução de situações.

Sua abordagem é baseada na resolução de problemas e tem como principal objetivo mesclar alguns dos princípios básicos da educação: a teoria e a prática.

Podemos dizer que essa metodologia faz com que os alunos se tornem muito mais engajados, especialmente quando comparada aos métodos de educação mais engessados das salas de aula tradicionais.

Quais são os principais benefícios dessa metodologia?

INTERDISCIPLINARIDADE E DIVERSIDADE: Com o uso desta metodologia o professor pode explorar problemas com os alunos de modo interdisciplinar. Além disso, pelo fato da metodologia se aplicar a grupos, contamos com a diversidade como fator de sucesso na busca por soluções e resoluções.

AUTONOMIA E DISCIPLINA: Ao decorrer do projeto, os alunos e alunas assumem uma postura autônoma de pesquisa, aprendizado e busca do conhecimento e soluções, partindo para discussões em grupo e planejamento. Os alunos precisam então assumir uma atitude auto suficiente e disciplinada.

COMBINAÇÃO DE TEORIA E PRÁTICA: Com essa metodologia é possível gerar experiências práticas, focadas na realidade. Os alunos experimentam todas as etapas de resolução de um problema, passando pelo levantamento de hipóteses, fundamentação, até chegar nas proposições e plano de ação.

DESENVOLVIMENTO COGNITIVO: O aprendizado ativo na ABP estimula o pensamento crítico e a capacidade de análise, em todas as etapas da metodologia. Desse modo, forma-se pessoas inconformadas com as ideias do senso comum, sempre buscando inovação e uma forma de fazer diferente.

ABORDAGEM CENTRADA NO ALUNO: Diferente de outras metodologias, o professor não é o protagonista, atuando como mediador do processo. O aluno se torna então o centro e o principal responsável pelo seu desenvolvimento e aprendizado.

Quais são as etapas da aprendizagem baseada em problemas?

O método de aprendizagem baseado em problemas segue uma estrutura simples e de fácil aplicação. O processo se resume em 7 etapas (leia mais sobre aqui) em que o responsável pela aplicação do conteúdo e transmissão do conhecimento deverá seguir atentamente. São eles:

-Questionamento motivador;

-Desafio proposto;

-Investigação e pesquisa;

-Mão na massa;

-Discussão e feedback;

-Desvendando o enigma inicial ;

-Avaliação do aprendizado.

Diferenças entre a aprendizagem tradicional e a baseada em problemas

Separamos alguns tópicos para que você possa entender melhor quais as diferenças entre uma aprendizagem tradicional e a baseada em problemas.

Aprendizagem tradicional

Nessa abordagem o professor é quem sabe, quem ensina, quem traz as informações aos alunos e transmite o conhecimento.

Assim, ele fica responsável pelo processo de ensino, indicando leituras, testando os conhecimentos através de provas, trabalhos e, geralmente através de quadro negro ou slides.

Nesse cenário o aluno tem o papel mais passivo no processo de aprendizagem e acaba “esperando” ser ensinado pelos professores.

Outro ponto que é importante salientar na aprendizagem tradicional é que há apenas o saber do professor e ele é tomado como verdade. Não havendo espaço para falhas, afinal, isso geram notas baixas e descontos de pontuações.

Aprendizagem baseada em problemas

Com essa metodologia os alunos iniciam com a proposta de um problema, alinhado ao tema e a realidade do aluno ou do que se estuda.

Aqui o papel do professor é de “tutor”, auxiliando na organização e desenvolvimento de estratégias, sugerindo e respondendo a dúvidas que contribuam ao processo do aluno.

Isso faz com que o aluno seja mais ativo no processo, propondo o desenvolvimento e soluções baseadas em seus conhecimentos prévios e adquiridos.

Com a aprendizagem baseada em problemas, é com o aluno que se identifica o que é preciso saber, o processo, as etapas e o delineamento do que será pesquisado.

Por fim, aprender a aplicar andam juntos e as falhas não são punidas! A aprendizagem baseada em problemas é onde, desde o início, a prática, a teoria, a pesquisa e a discussão estão presentes.


Atualizado por: Danilo Santos e Taiana Delavy

Willian Echeverria é Content Producer no Edupulses. Graduando em Psicologia e pesquisador em Educação, Aprendizagem e Metodologias Ativas. Willian se desafia todos os dias na busca de novas metodologias e ferramentas ativas que auxiliem no processo de ensino-aprendizagem.

Compartilhe